Se usado corretamente e com fatores altos, produto ajuda a combater o câncer de pele

Que o filtro solar é importante para a proteção da pele, todos sabem, mas qual seria essa proteção? Segundo estudo da Universidade de Oslo, na Noruega, pessoas que usam protetor solar com FPS acima de 15 tem até 33% menos risco de desenvolver melanoma, um tipo de câncer de pele agressivo, que, de acordo com o INCA, atinge cerca de 5.670 pessoas no Brasil, mas que apresenta um bom prognóstico se detectado nos estágios iniciais.

No entanto, alguns estudos anteriores mostraram que usuários de protetores solares estão mais expostos a tumores, contudo, pesquisadores refutam tal ideia e reforçam os benefícios do protetor solar. Segundo eles, algumas pessoas usam o produto para prolongar a exposição ao sol ou não aplicam a quantidade adequada ou, até mesmo esquecem, de passar o protetor em algumas áreas, resultando em queimaduras e, por isso, não conseguem obter bons resultados quanto à proteção à radiação solar. Desse modo, se usar corretamente e optar pelo produto com fator alto, a pele fica protegida tanto dos raios UVB como dos UVA.

De acordo com médicos oncologistas, é necessário muito mais do que só usar filtro solar, deve-se fazer uso de roupas adequadas, chapéus e bonés, além de evitar a exposição ao sol.

Até 2017, mais 1.547 brasileiros morreram em decorrência do câncer de pele ocasionado pela exposição aos raios solares, desses, 903 homens e 644 mulheres. Isso mostra que ações simples e regulares podem salvar vidas.

Para entrevistas, indicamos os médicos do Centro de Câncer de Brasília.

Fonte: Divulgação